Como se manter no caminho empreendedor

Olá pessoal. Esta semana daremos início à uma série de entrevistas com dicas para quem quer abrir seu próprio negócio. O primeiro tema abordado é “O Caminho Empreendedor”.
Para abrir a série, conversamos com o Coordenador Executivo do TecnoUCS (Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação da Universidade de Caxias do Sul), Prof. Dr. Enor José Tonolli Jr., sobre como se manter no caminho empreendedor.

 

UBISTART: A proposta deste vídeo que é falar sobre o caminho empreendedor. Nesse primeiro, mais especificamente, falaremos sobre como não sair do caminho empreendedor, como ter resiliência e também ter flexibilidade durante o processo de criação da startup, para que realmente crie uma solução que tenha engajamento no mercado.  Então, se puder falar um pouquinho sobre o StartUCS, que é o programa de pré-aceleração da Universidade…

Prof. Enor: O StartUCS começou no ano retrasado, em 2015. Neste ano, teremos a nossa terceira edição. Nas duas edições anteriores nós percebemos aquilo que já se fala no mercado, que não basta ter uma boa ideia se não conseguir mantê-la em atividade ao longo do processo de execução da empresa e posteriormente no mercado. Os obstáculos e as dificuldades são muitos, e vão desde se descobrir como empreendedor, saber qual o seu propósito, até às barreiras de família, amigos, o próprio mercado, clientes, fornecedores, entre outros. São vários os fatores que muito provavelmente farão com que o empreendedor desista da sua proposta, então uma das principais características, se não a principal, é a resiliência em se manter no caminho do empreendimento.

UBISTART: A gente pode falar isso porque aqui no StartUCS, nesses dois programas, já passaram mais de trinta projetos, e a gente sabe que no início tem toda aquela motivação. Normalmente as startups começam com um pique absurdo e no final do processo restam poucas. E dessas poucas, muitas vezes depois de meses, acabam não tendo a resiliência para manter o projeto. Isso é uma coisa que a gente nota acompanhando essas startups, que por mais que se tenha uma ideia boa e uma equipe engajada, não adianta se não tem determinação de continuar no mercado, buscando validar o modelo e persistindo…

Prof. Enor: Podemos nos analisar também como clientes do mercado. Nossos gostos, necessidades e desejos são constantemente modificados por uma série de fatores, ou por novas tecnologias, ou por novos comportamento que adquirimos ao longo do tempo. Se manter constantemente observador do mercado, entendendo o que acontece e aceitando as mudanças é um dos componentes de sucesso. Também é importante saber que uma empresa não é um pet project (projeto de estimação), é algo vivo que precisa de constantes mudanças e ajustes, e a manutenção desse mercado é um comprometimento que o empreendedor precisa ter. O empreendedor precisa gostar de desafios e ser automotivado o tempo inteiro. O desejo de manutenção enquanto empreendedor também é fundamental
Observa-se que diversos dos projetos que se inscrevem para a pré-aceleração desistem na entrevista, pois percebem que a demanda que eles terão sobre sua ideia é algo que não tinham previsto. O empreendedor precisa estar ciente que talvez ainda não esteja preparado para empreender.

UBSITART: É uma série de fatores que contribuem e muitas vezes a pessoa tem que estar ciente que talvez ele não esteja preparado naquele momento para ser empreendedor.

Prof. Enor: Esse é ponto que eu comentei antes sobre se descobrir empreendedor. Ele deve se perguntar porque eu quero empreender? Porque é uma moda? Porque eu me identifico com o estilo das startups? Quando se vai por esses aspectos ele acaba não se dando conta que existe um outro mundo paralelo em volta desse que é o lado negro da força, e que pode desestimular qualquer boa intenção. Boa intenção no sentido de acreditar que se tem uma ideia e que ela vai continuar porque as pessoas vão gostar dela. Isso não acontece dessa forma.
Outra questão que faz parte das startups é a escalabilidade e a ascensão exponencial do negócio. Há um mito onde se imagina que esse tempo de ascensão se dá em um período curto de tempo, mas não é assim, nada acontece em 6 meses, 1 ano. Qualquer projeto precisa de um tempo de maturação, até porque uma startup trabalha muito com inovação e disrupção, e nada vai ser rompido de forma radical de um dia para o outro.

UBISTART: Existe uma falsa percepção dos novos empreendedores, de que vão ficar milionários da noite para o dia. Normalmente as pessoas vêm a startup crescer e acham que ela começou do nada. Mas existe todo um processo de maturação que muitas vezes passa despercebido.

Prof. Enor:  É importante desfazer essa ilusão de que as coisas acontecem rápido. No mundo real as coisas não acontecem desse jeito, tem muito no meio do caminho que tentará te tirar do que te colocar de volta. Efetivamente o que te mantém é a vontade e a resiliência em empreender.

Artigos relacionados

Tags: , , ,